Um fórum de RPG interpretativo com tema futurista, livre para quem se interessar e que utiliza de um sistema simples para que qualquer jogador possa entender.
 
InícioCalendárioFAQBuscarMembrosGruposRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Encontro familiar

Ir em baixo 
Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte
AutorMensagem
Heylel

avatar

Mensagens : 128
Data de inscrição : 18/11/2018

Database
HP:
33/33  (33/33)
EP:
11/11  (11/11)
EXP:
550/600  (550/600)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Qui Dez 27, 2018 4:23 pm

*Percebendo pelo olhar da mulher que ela não havia prestado muito atenção aos detalhes, ao menos o espirito da coisa ela havia pego e isso já seria o suficiente. O albino então acenou positivamente com a cabeça e seguiu subindo as escadas de emergencia questionando Cody seu progresso, estava demorando demais e isso não era normal, algum inconveniente provavelmente aconteceu e se fosse o caso, dependendo, teria que voltar com Llyani*

-... *A espera da resposta, em cima do prédio o encapuzado seguiu observando tudo graças seus olhos bionicos, esses que melhoravam a qualidade de imagem o permitindo ver melhor do que o normal mesmo naquele clima chuvoso e cada vez mais escuro, sim, a noite melhoraria ainda mais a furtividade, sentia que aquilo poderia dar certo. Usando seu aparelho ele marcou todo o trajeto, pontos de interesse e inimigos que estavam sendo sinalizados como pontos vermelhos ambulantes em seu mapa virtual, agora era só uma questão de agir guiando a si mesmo e Llyani por aquele pequeno labirinto que eram os becos e vielas que por formarem esses caminhos estreitos, os prédios ficavam relativamente próximos o permitindo saltar entre eles, não o suficiente para chegar ao local de destino, mas o bastante para ter toda uma noção de trajetória junto a posição de todos os inimigos, atividade essa que o Kroyvisiano fazia muito bem mostrando que não é apenas músculos e cara amarrada*

-Certo, vamos começar.
*Agora com tudo feito e marcado, restava a Heylel guiar Llyani estando pronto também para ajuda-la obviamente e para começar usou sua prótese para arrancar um pedaço do parapeito do prédio e esmigalha-lo se armando com pequenas pedrinhas que iriam servir de distração em momentos específicos*

Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Amëlie;

avatar

Mensagens : 9
Data de inscrição : 05/12/2018

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Qui Dez 27, 2018 9:36 pm

Quando o pedido de calma atingiu os ouvidos de Amëlie, o que aconteceu foi o total contrário. O pedido para que ficasse calma pareceu apenas irritar mais ainda a mulher que suspirou com força, mordendo o lábio inferior e parando no lugar, passando as mãos pelos cabelos castanhos de forma lenta e concentrada. 

Wilhelm, mantenha-se onde está. — Pediu por fim, contidamente. Precisava arrumar a localização da própria filha, e falar aquilo em voz alta em frente a oficiais da Aliança provavelmente não era uma boa ideia, dada as condições atuais — Eu vou te buscar logo. — Falou de forma decidida, tão logo desligando o telefone de forma barulhenta, enquanto novamente punha-se a andar. 

"Cold, preciso da sua localização.", os dedos rapidamente digitaram a mensagem e enviaram com destreza. Logo, encontrava-se em uma sala no final do corredor por onde caminhava, "vou buscá-la"., mandou novamente, enquanto tão logo chegava já saia de dentro da sala, agora com a roupa necessária para poder entrar no mecha.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Colt Colddie

avatar

Mensagens : 35
Data de inscrição : 17/11/2018

Database
HP:
1/1  (1/1)
EP:
1/1  (1/1)
EXP:
200/300  (200/300)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Sex Dez 28, 2018 1:00 am

Encolhida ao lado de sua cunhada, Cold recebeu a mensagem que lhe fora enviada, dando-a um breve sustinho. Um suspiro de alívio saiu de seus lábios quando leu o que continha na mensagem; ainda era uma criança, e saber que logo seus pais estariam junto de si fazia com que ela se sentisse feliz, ainda que nervosa por saber que provavelmente iria apanhar. Não que fosse sem motivo. Mas, será que o argumento dos seis mil convenceria a sua mamãe?

"Oki" foi a resposta de Cold, juntamente com o ponto exato da sua localização. Olhou para Stellae por um tempinho antes de, relutantemente, se dirigir a ela.

— Mama está vindo. Ficaremos bem — Afirmou de forma duvidosa, encolhendo-se abraçada com o aparelho.

Enviado pelo Topic'it
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Soren

avatar

Mensagens : 5
Data de inscrição : 28/12/2018

Database
HP:
1/1  (1/1)
EP:
1/1  (1/1)
EXP:
1/1  (1/1)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Sex Dez 28, 2018 5:17 am

Já começava a anoitecer. Não haviam muitas naves e nem veículos terrestres trafegando no entorno e nem no bairro em que se localizava seu alvo de pouso. As luzes da cidade gradualmente tornavam-se a única fonte de luz discernível, e essa particularidade lhe lembrava das incursões e expedições espaciais das quais inúmeras vezes já participou. Também lhe confortava que cada vez menos barulhos fossem produzidos na metrópole, de modo que a única melodia a ressonar fosse a dos propulsores de seu mecha. Era tranquilizante.

"É hora de compensar a negligência que todo o trabalho e responsabilidades me condicionaram a ter", pensou consigo mesmo. Estava a caminho de um hangar em particular, onde a permissão de pouso já lhe era adiantada antes mesmo de preparar-se para executa-lo. Soren acabava de retornar de uma missão e de imediato retomaria suas obrigações como embaixador, mas não antes de encontrar-se com seu filho delinquente e tomá-lo pelas rédeas. Ele já sabia de tudo em cada detalhe, mesmo que estivesse fora durante as últimas semanas - isso estava em vários noticiários e, embora muitos talvez não fossem capazes de identificar, o rosto de seus filhos era inconfundível para ele. 

Trataria de resolver quaisquer que fossem os problemas, do modo mais efetivo possível.

Era hora de pousar. Tratou de ajustar o ângulo, reduzir ao mínimo necessário a potência dos propulsores e de recolher os aerofólios. As extensões e apêndices encolheram-se em frente à parte frontal do titânico construto, de modo a reduzir o espaço por ele ocupado e a suavizar o impacto do pouso. Agora, restava esperar 10 segundos.

 Com cautelosos movimentos, Soren esticou seus cotovelos, mãos e dedos e pôs-se a flexiona-los com o apoio de seus equivalentes à fim de estala-los um por um. Então, à medida que voltava a posicionar seus braços de forma correta sobre o painel, girou de forma rápida o pescoço de um ombro ao outro, estalando sua nuca.  

Suspirou de alívio, mas inspirou em confiança. Era hora de descer. Com um simples comando, os cintos de segurança foram automaticamente destravados e todos os outros sistemas relacionados à estabilidade e saúde do piloto também, permitindo que o homem escapasse por uma porta lateral e descesse por uma escada auxiliar posicionada ao lado do mecha por aqueles que o recebiam no Hangar. 

Olhou ao redor rapidamente à fim de localizar sua cria e levou as mãos às têmporas, massageando a região momentaneamente antes de deslizar seus dedos pelo cabelo, jogando-o para trás quase que inefetivamente, visto que a maior parte dos fios logo tornou a cair sobre seu rosto. Com uma postura que irradiava confiança, ele marchou confiantemente em direção a Willhelm, parando a seu lado e pousando uma de suas mãos sobre seu ombro esquerdo.

Senhores. — Ele deu às autoridades policiais um breve e cordial sorriso, que seguiu-se de respectivos cumprimentos de mão e gestos complementares a isso. Seguidamente, voltou-se para seu filho. Com uma expressão séria mas não hostil, analisou-o seu filho dos pés à cabeça. Seu olhar não transmitia ao garoto nem aprovação ou desaprovação, mas certamente buscou conforta-lo ao pousar uma de suas mãos sobre seu ombro direito e comentar, como se já o corrigisse:

Você está imundo, garoto. Acautele-se mais quanto a onde se enfia. Pensei que não saísse jamais da toca. — Ele brincou — Mas eu bem lhe disse que um dia você sairia. Só assim é possível conhecer o mundo que lhe cerca e crescer verdadeiramente. No entanto, da maneira como o fez... — Concluiu. Ele esperava que o garoto explicasse-se e se sujeitasse à sua autoridade sem que fosse necessário fazer tal cobrança.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
SIDA
Admin
avatar

Mensagens : 474
Data de inscrição : 29/07/2015

Database
HP:
1/1  (1/1)
EP:
1/1  (1/1)
EXP:
1/1  (1/1)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Sex Dez 28, 2018 4:59 pm

Ao redor de Heylel estão quatro grandes polos de movimentação, marcados pelas ruas que cercam o bloco de prédios aonde estão atualmente. Esses são os locais mais prováveis de atividade por parte da segurança, e isso se confirma quando Heylel ativa sua visão de águia observa cautelosamente o ambiente ao seu redor e consegue perceber a posição de guardas em três desses quatro pontos, sendo um deles aquele que já viram ao entrar no ambiente.

Todos eles estão acessando o mesmo painel de HUD e averiguando a identidade daqueles que passam pelo lugar. Residentes e turistas podem ser identificados  através de suas identidades eletrônicas e suas fichas criminais são acessadas numa fração de segundo por SIDA. Realmente a IA faz um ótimo trabalho para manter a Aliança como o grande pacto que é, e se não fosse por esta a causa rebelde teria muito mais sucesso atualmente.

— Você tá vendo tudo daí de cima. E agora, idiota?


Spoiler:
 
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://greyage.forumeiros.com
SIDA
Admin
avatar

Mensagens : 474
Data de inscrição : 29/07/2015

Database
HP:
1/1  (1/1)
EP:
1/1  (1/1)
EXP:
1/1  (1/1)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Sex Dez 28, 2018 5:18 pm

A chegada de Soren definitivamente causa surpresa não só para os oficiais que detinham Wilhelm como para transeuntes no local, que estão ainda menos acostumados com um veículo como aquele. Enquanto alguns já viram reportagens sobre estes devido ao recente avanço dos maquinários de ação terrestre afim de auxiliar na colonização de novos planetas, muitos ainda acham que não passa de uma lenda ou sonho inalcançável. Seja lá quem for que chegou ao hangar pilotando um daqueles, não é qualquer pessoa.

Mesmo que não reconheça o loiro, o oficial imediatamente abaixa sua arma que estava apontada por reflexo em direção ao garoto. É como se seu semblante transmitisse uma espécie de imposição, ou que sua vontade o subjugasse apenas pela presença. Quase que como uma reação, o oficial sente-se obrigado a pedir desculpas.

— P-Perdão senhor. A situação fugiu do controle por aqui. — Diz aquele que vinha a frente daquela patrulha desde o início. — Deve ser pai dele. 

Os outros dois a sua volta já parecem ter conhecimento da identidade de Soren, mas quem a esclarece é a IA que está acoplada à armadura do líder do pelotão.

Este é Soren Hans Mikkelsen, embaixador e representante do povo de Kasna em território Nazodiano. — Explica a voz sintética, num tom simpático que segue sua programação curiosa. — Olá, senhor! Acabo de realizar o scan rápido e vejo que mantém o corpo atlético mesmo deixando a juventude. Aceitaria uma bebida?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://greyage.forumeiros.com
SIDA
Admin
avatar

Mensagens : 474
Data de inscrição : 29/07/2015

Database
HP:
1/1  (1/1)
EP:
1/1  (1/1)
EXP:
1/1  (1/1)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Sex Dez 28, 2018 5:18 pm

A chegada de Soren definitivamente causa surpresa não só para os oficiais que detinham Wilhelm como para transeuntes no local, que estão ainda menos acostumados com um veículo como aquele. Enquanto alguns já viram reportagens sobre estes devido ao recente avanço dos maquinários de ação terrestre afim de auxiliar na colonização de novos planetas, muitos ainda acham que não passa de uma lenda ou sonho inalcançável. Seja lá quem for que chegou ao hangar pilotando um daqueles, não é qualquer pessoa.

Mesmo que não reconheça o loiro, o oficial imediatamente abaixa sua arma que estava apontada por reflexo em direção ao garoto. É como se seu semblante transmitisse uma espécie de imposição, ou que sua vontade o subjugasse apenas pela presença. Quase que como uma reação, o oficial sente-se obrigado a pedir desculpas.

— P-Perdão senhor. A situação fugiu do controle por aqui. — Diz aquele que vinha a frente daquela patrulha desde o início. — Deve ser pai dele. 

Os outros dois a sua volta já parecem ter conhecimento da identidade de Soren, mas quem a esclarece é a IA que está acoplada à armadura do líder do pelotão.

Este é Soren Hans Mikkelsen, embaixador e representante do povo de Kasna em território Nazodiano. — Explica a voz sintética, num tom simpático que segue sua programação curiosa. — Olá, senhor! Acabo de realizar o scan rápido e vejo que mantém o corpo atlético mesmo deixando a juventude. Aceitaria uma bebida?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://greyage.forumeiros.com
Wilhelm

avatar

Mensagens : 61
Data de inscrição : 17/11/2018

Database
HP:
20/20  (20/20)
EP:
12/12  (12/12)
EXP:
160/300  (160/300)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Sex Dez 28, 2018 8:31 pm

Ver a chegada de seu pai lhe trazia sentimentos mistos. Ao mesmo tempo que parecia aliviado por saber da sua capacidade diplomática para lidar com aquilo, sabia que tomaria a maior surra da sua vida depois. Por mais que soubesse que Soren não moveria um dedo para lhe agredir, sabia também que apanhar da sozinho mãe era pior que apanhar dos dois juntos.

A situação de Wilhelm, naquele momento, era bem complicada. De um lado, seus pais lhe "acolhiam" através de broncas - umas mais diretas que as outras, uma vez que sua mãe encheu-o de ameaças enquanto seu pai simplesmente estava sendo duro consigo - enquanto do outro lado, seus "novos amigos" pareciam bolar planos mirabolantes para tirá-lo das mãos dos oficiais. De seus genitores também, talvez.

Foi uma troca de interesses — Respondia o seu pai brevemente, não ousando encará-lo diretamente — posso te explicar melhor depois. Por enquanto, te digo que eu também fui atingido por aquela substância azul, e "eles" simplesmente a tiraram de mim e cobraram um favor depois. Não tive escolha porque não havia nenhum hospital aberto, já que ninguém quer desperdiçar a folia e os descontos do festival.




Desprendendo-se das pernas de seu mestre e enfim saindo do "esconderijo" que havia estabelecido em seu manto, o pequeno robô arredondado movia-se lentamente para cumprimentar o seu suposto avô. — Devido à minha programação de xereta, senhor... — Com seus movimentos robóticos que realizavam barulhos breves de circuitos, ele atuava um pigarreio na garganta. — Posso exibir todos os acontecimentos numa tela holográfica em 1030 pixels. Assim terá provas conclusivas da falta de escolha do nosso Wilhelm.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Cody 01

avatar

Mensagens : 32
Data de inscrição : 14/12/2018

Database
HP:
21/21  (21/21)
EP:
5/5  (5/5)
EXP:
1/1  (1/1)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Sex Dez 28, 2018 9:05 pm

*A resposta de Wilhelm realmente bugou o androide que usou seu indicador para coçar a cabeça por causa da duvida, só que bem, tinha sido enviado ali para resgater Wilhelm, tirar ele dali, então não iria sair de mãos abanando, só que a mãe atrapalhando era realmente um fator a mais para dificultar ainda mais aquela pequena missão*

-Maravilha viu, a situação ta cada vez melhor... *A mensagem de Heylel chegou aos sistemas de Cody que se sentiu ainda mais pressionado... Era nesses momentos que agradecia por ser uma maquina, a falta de certas substancias em seu corpo o impediam de ser menos racional, em outras palavras, de fazer merda por estar nervouser*

-Ok Si, seguinte, vamos fazer o plano original, você vai até os soldados causar uma distração, você é uma pessoa que estava perdida, eles vão te dar atenção, eu vou simular ser seu Familiar e do Wilhelm que está te trazendo de volta a pedido do... Tio de vocês! Ele inclusive pediu para eu levar o Wilhelm de volta porque a mãe dele ta uma fera, não precisa ficar nervoso, você nem precisa falar, só deixar tudo comigo, levando em conta seus possíveis traumas é justificável o nervosismo e tudo mais! Então conte comigo, farei todo o trabalho, você só precisa ser o holofote. *Começou a ajeitar as roupas de Sirius e ficar o olhando de vários angulos, realmente patético, bem como deveria ser para simular bem uma situação por mais veridica que fosse, afinal, ninguém ali estaria de fato mentindo, só Cody, mas nem tanto assim*

-Falando em nervosismo, não sei porque a mãe dele ta dando chilique, ta, ok, ele se envolveu num ato terrorista, quase matou pessoas, quase explodiu dentro de uma nave rebelde, se uniu aos rebeldes e pilotou uma nave ilegalmente e agora está sendo procurado como um criminoso genocida em potencial, mas e dai? Tudo isso foi por causa de um grande mal entendido poxa, não foi nossa culpa, você sabe! Enfim, eu vou odiar ter que fazer isso, mas não tenho escolha, tudo pela liberdade! *Repassou a situação para seu mestre e então seguiu com Sirius até o elevador, escada, o diabo que for para subir a dita torre e irem até onde Wilhelm, só que acabou parando no meio do caminho ao ouvir um som diferentão acompanhado de um vento estranho que o chamou a atenção*

-Mas que porra é essa? Isso é da Aliança? *Ficou parado e então voltou a se sincronizar com o visor de Wilhelm que na verdade era de Heylel para conseguir ver e ouvir o que estava acontecendo em "primeira-mão" se mantendo atento ao que estava ocorrendo e ao ouvir os ditos do homem e do soldado tal como do próprio garoto, o androide abaixou a cabeça*

-Essa não... O Wil é da Aliança? Si, preciso reportar isso ao Boss, ele está indo direto para uma emboscada! *Decidiu isso pois já que aquele tal de Soren sabia onde encontrar Wilhelm, provavelmente seus parceiros sabiam onde encontrar as duas garotas e como todos são, ao seu ver, membros da Aliança, Heylel teria que cuidar de mechas atoa já que seus alvos de resgate na verdade são seus inimigos*

-Acho que ficamos por aqui amigão, sei que você ainda tinha sua parte na missão, mas Wilhelm está seguro agora, não é preciso mais se esforçar, então não se esqueça de nada que passamos juntos, ok? Se a paz chegar enquanto ainda formos vivos, vamos fazer compras juntos, não esqueça! Como disse o Boss, esse é seu momento, suba aquela torre e se encontre novamente com sua família de verdade, foi bom enquanto durou amigão, mas agora eu preciso ir, o Boss precisa de mim. *Fez o sinal da Reconquista para Sirius, tudo que é meu é seu, depois abraçou o ex-companheiro e após isso simplesmente sairia correndo dali deixando o garoto para trás, não havia mais o que dizer ou o que fazer além de chegar o mais rápido possível onde seu mestre estava e por isso ia correndo na chuva*

Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Heylel

avatar

Mensagens : 128
Data de inscrição : 18/11/2018

Database
HP:
33/33  (33/33)
EP:
11/11  (11/11)
EXP:
550/600  (550/600)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Sex Dez 28, 2018 9:51 pm

*Observando a situação como um verdadeiro assassino de túnica preta, Heylel estava totalmente concentrado naquilo que estava fazendo e ao ouvir a voz de Llyani em seu comunicador, apenas a respondeu de forma breve demonstrando uma calma esquisita por ser algo disfarçado e não natural de si, era como se pudesse ouvir sua mestra Morgka rindo de si por ele ter se recusado a aprender com ela a arte da furtividade que agora se provou ser mais util do que nunca*

-Parecem ser poucos nessa área, acho que se combinarmos nossas habilidades conseguimos derrubar 2 de uma só vez. *O encapuzado logo pode observar uma ave sobrevoando o local e dando a volta e apesar de ser escuro ele a reconheceu e por isso a ofereceu o braço para que a mesma pousasse ali, era um pequeno filhote de grifo*

-Hm, o que você está fazendo por aqui pequeno? *Fez carinho no topo da cabeça dele com o dedo indicador e logo seu HUD abriu sobre a manopla expondo C-06 que pelo cenário de fundo estava nitidamente dentro da nave de Melroa... O que diabos havia acontecido?*

-Senhor, eu sinto muito pela intromissão, mas eu trouxe o jovem Miya para a nave porque eu não sabia como agir como ele tivesse um novo pesadelo, só que quando dei por mim estavamos aqui. *Poise, o rebelde não havia verificado os quartos dentro da nave e justo dentro de um deles o Familiar de sua mãe estava junto aquele menino... Espera, o jovem? Miya era um menino?! Ta, não iria entrar em detalhes agora, haviam coisas mais importantes em xeque*

-A unica ordem que te dei era para mante-la... Mante-lo em casa em segurança, céus... Tudo bem, ele está ai, na linha? *Seguiu observando a movimentação dos soldados para não expor Llyani ao perigo, e bem, por hora estava tudo bem, nesse momento o androide respondia "Sim senhor, só aguarde um pequeno momento" e então passou a vez para o menor*

-Miya, está me ouvindo?... Espera um pouco. *A chamada de Cody vinha logo a seguir, aquele robo parecia estar mesmo desesperado apesar de suas expressões não marcarem isso devidamente, só que era mesmo notavel o que deixou Heylel ligeiramente apreensivo*

-O que está havendo Cody?... *Agora a tela ficava dividida entre Miyano e Cody como se fosse uma chamada high tech de skype ou discord. O Familiar então contava a dupla de albinos sobre ter visto um mecha ser pilotado pelo dito pai de Wilhelm e que em breve estariam ali, que era uma emboscada e tudo mais, então deveriam sair o quanto antes*

-Um mecha? Isso é impossível, essa tecnologia é apenas teórica e completamente inviável, eu que não sou engenheiro ou mecânico sei disso. *Ao ter a foto exposta para si -foto que a criança também via por estar na mesma chamada-, o Kroyvisiano ficou simplesmente boquiaberto, não era possível que a Aliança estava armada com algo assim, sem duvida alguma precisava repassar isso a seus superiores, aquilo seria de fundamental ajuda para a negociação com a parte pacifista da facção*

-Inacreditável... Ela realmente conseguiu? Llyani, novo plano. *Aquela situação poderia ser sua deixa, afinal, com as ruas vigiadas ficaria dificil passar por todas elas mesmo tendo sucesso ali, ou seja, precisava de algo para enfraquecer a vigilancia nas ruas, precisava atrair os soldados para outro lugar e que lugar melhor esse senão no nucleo de um confronto onde o Experimento Alpha e o Filho da Morte se encontram? Dois dos mais procurados na lista negra da Aliança*

-Eu e a Llyani vamos cuidar desses palhaços, nós seremos o centro das atenções, Miya, Cody, vocês vão até o hospital de Gradapolis, se existe um lugar onde um doutor pode estar cuidando de pacientes, esse lugar certeiramente deve ser o hospital, e caso ele não esteja, arrumem um jeito de encontra-lo, aquela coisa ainda está nesse planeta e é nosso dever captura-lo, alguma duvida? Miya, você está bem? Tudo bem fazer isso? *Iria esperar Miyano responder já que Cody em si não tinha muita escolha, ou melhor, tinha, só que ele não costuma questionar nenhuma ordem de Heylel*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Miyano

avatar

Mensagens : 55
Data de inscrição : 17/11/2018

Database
HP:
20/20  (20/20)
EP:
8/8  (8/8)
EXP:
200/300  (200/300)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Sex Dez 28, 2018 10:25 pm

A criança não sabia muito bem o que estava acontecendo, tampouco a conversa de Heylel parecia fazer sentido para ele, mas preferiu não perguntar, pois já estava atrapalhando o suficiente.

Além disso, Rex já havia tomado iniciativa e fugido das mãos da criança, apenas Maya estava em casa, em segurança. Miya parecia bem mais motivado do que antes, apesar de tudo o que havia ocorrido naquele curto período de tempo. Não era do tipo corajoso, líder nem herói, mas uma única pista relacionada aos pais poderia fazer a criança se mover por conta própria, visto que era um garoto que apenas seguia ordens, não importando o quão cruéis fossem, e mesmo se discordasse, ainda se posicionava contra com hesitação. Apenas colocava os pensamentos para fora quando muito irritado ou pressionado, caso contrário, mantinha-os para si.

Abraçando as pernas um tanto incerto, atendeu a chamada de Heylel já esperando uma bronca, mas não foi o que ocorreu. Diferente disso: Heylel fez um pedido para que encontrassem alguém, provavelmente um médico. E provavelmente alguém que sabia sobre aquela substância azul, dado a natureza do pedido e os acontecimentos mais recentes.

- Uhm... posso, sim. Ah, Heylel... - Antes que o homem pudesse encerrar a chamada, a criança o interrompeu, prosseguindo. - Já descobriu algo sobre aquele emblema?
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Amëlie;

avatar

Mensagens : 9
Data de inscrição : 05/12/2018

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Sab Dez 29, 2018 1:23 am

Os passos de Amëlie agora eram mais rápidos conforme avançava pelos corredores do hangar de decolagem. Era um lugar estranhamente familiar nos últimos dias, e fazia com que uma sensação estranha subisse pelo peito da mulher; seria aquilo preocupação? Geralmente os filhos estavam sempre por perto, sempre embaixo de sua asa, então, não sentia essa sensação irritante de preocupação. Claro que sentia isso quando os filhos adoeciam, e sabia que não era a mãe mais presente do mundo, mas ainda assim, se importava. Os amava com todas as forças. 

Eu devia ter prestado mais atenção. — Murmurou para si mesma, cobrindo o rosto com as mãos e suspirando profundamente, enquanto parava no meio do corredor do hangar móvel. O dispositivo eletrônico apitou com a resposta de Cold no exato momento em que a Schwazdorn subia as escadas para a plataforma auxiliar, esperando enquanto o mecha — SATAN.eva — era preparado para ser utilizado. 

Então, tão logo a mensagem havia chegado, Amëlie digitava rapidamente para Cold; "Não se preocupe, a mamãe está indo. Fique aí.", e enviou no momento em que o corpo repousava-se dentro da armadura gigante. Não demorou muito para que todas configurações fossem postas e por fim, a rota designada aparecesse no celular de Amëlie, enquanto o grande mecha erguia vôo, em direção a Cold e Stellae.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Colt Colddie

avatar

Mensagens : 35
Data de inscrição : 17/11/2018

Database
HP:
1/1  (1/1)
EP:
1/1  (1/1)
EXP:
200/300  (200/300)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Sab Dez 29, 2018 12:53 pm

Sozinha com Stellae num silêncio que parecia não ter fim, Cold acabou por começar a se sentir meio triste, e com a tristeza, veio a surpresa por estar se sentindo daquele jeito. Não era normal que sentisse aquele tipo de coisa, principalmente porque ela simplesmente não precisava. Uma brisa fria passou pelo seu corpo, fazendo com que ela se encolhesse mais ao lado de Stellae, parecendo ter esquecido da estranheza de agora a pouco.

A Cold sente saudade da mamãe — Murmurrou, encarando o celular. Parecia meio sonolenta, mas talvez fosse só impressão, afinal ela sempre falava do mesmo jeito manhoso e desanimado. — E do papai. E do Will. Acho que o Will também sente sua falta, né? — E depois ficou em silêncio, indo jogar algum joguinho no celular enquanto esperava.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Stellae Dzerkin

avatar

Mensagens : 19
Data de inscrição : 22/11/2018

Database
HP:
1/1  (1/1)
EP:
1/1  (1/1)
EXP:
180/300  (180/300)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Sab Dez 29, 2018 1:26 pm

O olhar preocupado se direcionava atentamente para as ruas da cidade, estava silenciosa mesmo que, em seu interior, estava inquieta e ansiosa pela chegada de Willie, e mesmo que não fosse de demonstrar tanto afeto e preocupação, estava no momento, preocupada com Cold mais do que deveria.
Encostou-se na parede e puxou os joelhos, envolvendo-os em seus braços, enquanto observara a albina e sua feição triste que aparentemente tentava não transparecer.

— Ela está vindo, não está? Não tem com o que se preocupar. Eles virão. — Não era tão verdade assim, na verdade não era mesmo, estavam cercadas por guardas acima de uma cobertura agora, deviam realmente se preocupar. Mas estava ali e de qualquer forma, ela era sua responsabilidade no momento. — É, ele deve estar sentindo minha falta.

Após a curta resposta, voltou ao mesmo silêncio de antes, assoprando a mecha branca dos cabelos que recaia sobre os olhos azulados.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Soren

avatar

Mensagens : 5
Data de inscrição : 28/12/2018

Database
HP:
1/1  (1/1)
EP:
1/1  (1/1)
EXP:
1/1  (1/1)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Dom Dez 30, 2018 4:22 am

Não se preocupe. —  respondeu calmamente ao guarda que dirigiu-se a ele com desculpas. Rolou os olhos por todos os que estavam presentes no local enquanto era apresentado por SIDA, ouvindo a seus cumprimentos e elogios com um sorriso amigável em seu rosto. Com um certo charme artificial na voz, à fim de mostrar-se aberto à brincadeira, respondeu-lhe: 

Sem dúvida aceitaria uma bebida, mas preciso dizer que apenas se fosse uma água bem gelada. Se for esse o caso, serei-lhe muito grato. — Concluiu, cerrando o sorriso logo em seguida e então concentrando seu olhar sobre Wilhelm, analisando sua expressão facial de forma inquisidora.

Ouviu-o falar atentamente. Cruzou os braços em meio à fala do filho. Não pretendia dar-lhe delicadeza naquele momento de justificativa e tanto seus erros quanto acertos haviam de ficar em evidência e sentia-se particularmente incomodado com a tentativa de postergar a explicação, mas deixou com que o garoto falasse até o fim.

Compreendo. Muito bem, então parece que você foi condicionado a coagir com estes indivíduos em função do risco de vida pelo qual passava. Manipularam-no em seu estado de fraqueza.  — Disse enquanto fitava o chão, ponderativo. Ergueu uma de suas mãos com os braços ainda cruzados, e posicionou-a firmemente sobre seu queixo, como um apoio. — E vejam só! Mais importante ainda: eles têm o antídoto. O que significa que se prepararam para caso fossem eles mesmos vitimados pela arma biológica por eles projetada.  — Sua voz saiu em alto e envolvente tom, como se convidasse os demais no entorno a ouvir e opinar sobre o que discursava naquele momento.

Planejava prosseguir com o discurso, mas o surgimento do robô de seu filho e sua proposta pareceram ainda mais importantes.
 — Muito bem. Vá em frente.  — Concluiu.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Llyani

avatar

Mensagens : 13
Data de inscrição : 30/11/2018

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Dom Dez 30, 2018 1:38 pm

A garota bufa com a demora, claramente incomodada em esperar. Estar presente no território inimigo  a incomoda profundamente, e a cada segundo sua permanência ali torna-se ainda mais arriscada. Se fosse pega, seria seu fim e viveria eternamente presa num laboratório de novo.

Tanto faz. Só vamos logo com isso, "capitão". Fala por quem começamos primeiro, só quero sair daqui logo. — Ela reclama, já se preparando para agir no primeiro comando dado por Heylel.

Os oficiais avistados mantêm-se nas mesmas funções que antes, então permanecem em posição. Llyani está disposta a seguir as ordens do albino desde que isso não faça ela acabar presa novamente.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
SIDA
Admin
avatar

Mensagens : 474
Data de inscrição : 29/07/2015

Database
HP:
1/1  (1/1)
EP:
1/1  (1/1)
EXP:
1/1  (1/1)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Dom Dez 30, 2018 2:16 pm

O oficial que lidera os outros dois permite que Soren converse com seu filho, evitando arrumar conflitos com alguém tão importante. Isso poderia lhe causar vários problemas, afinal. No fundo, sente-se aliviado por não ter irritado o homem ao render seu filho.

Muito bem, senhor. Vejam só, de acordo com os médicos, beber muita água é uma das fórmulas mais eficientes para manter o corpo sempre saudável! Agente 622, eu não tenho mãos. Se eu tivesse usaria para pegar água para o embaixador ao invés de ficar tirando catota do nariz — Diz a voz de SIDA, no traje do oficial.

Logo, um dos oficiais que acompanha o homem com quem Wilhelm falava se retira para realizar a ordem de SIDA. Ele não parece muito animado com isso, mas obedece sem reclamar. O oficial à frente sente-se intimidado para falar com o embaixador sem discordar dele, mas com a intromissão do robô do garoto, talvez seja mais fácil julgar os atos do garoto vendo o que realmente aconteceu.

— C-com certeza, senhor. Seu filho provavelmente não teria conseguido sobreviver se não tivesse cedido, e ter o antídoto aumenta ainda mais nossas certezas de que a Reconquista foi responsável pelo ataque. Por acaso, você não tem nenhuma informação sobre esse antídoto deles, garoto? — Ele diz, e apenas aguarda para assistir junto ao outro homem aos acontecimentos recentes da vida do adolescente, registrado pelo pequeno robô.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://greyage.forumeiros.com
Wilhelm

avatar

Mensagens : 61
Data de inscrição : 17/11/2018

Database
HP:
20/20  (20/20)
EP:
12/12  (12/12)
EXP:
160/300  (160/300)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Dom Dez 30, 2018 3:47 pm

O antídoto... — Recordando-se dos momentos agoniantes que teve dentro daquela sala médica, o garoto de cabelos castanhos esticava seu antebraço para fora do manto, exibindo uma boa parcela de cicatrizes de cortes e furos que aquele doutor havia lhe desferido. — É literalmente furar a pessoa até ela perder quase todo o sangue. Ao menos foi o que aconteceu comigo. — Dito aquilo, ele retraía seu braço para dentro da vestimenta novamente e encarava fixamente o seu autômato, que parecia animado o suficiente para fazer todo um ato de julgamento.




Movendo-se confiantemente em direção aos outros presentes ali, o robôzinho caminhava de peito estufado enquanto suas mãos eram posicionadas em conjunto até suas costas. — Senhores e majestosos autômatos, eu gostaria de lhes apresentar minha intimidade... a database audiovisual que costumo chamar de memórias. — Dito aquilo, seus supostos olhos passavam a exibir uma pequena telinha holográfica, que gradualmente aumentava de tamanho até ser visível para todos os presentes. — Também vou ler uma entrada que fiz em meu blog pessoal do começo de nossa aventura!!! — Pareceu extremamente animado ao dizer aquilo, como se divulgar seu blog fosse o objetivo desde o início.




Wilhelm ficava brevemente confuso. — ...Um blog? — Apesar de parecer curioso, apenas calou-se e deixou com que o autômato prosseguisse.




Na tela, a figura das pernas do tecnopata eram exibidas. Pareciam caminhar numa rua afastada à noite. Era o dia do festival de Gradopolis, pouco antes do ataque terrorista ocorrer. Estavam próximos a um posto de gasolina com uma nave.

"Primeiro dia do Registro Intergalático de Aventuras do Incrível e Heróico Eisen Schwarzdorn. Eu e Wilhelm estávamos caminhando por ruas afastadas no intuito de explorar a cidade, até nos intrometermos num aparente confronto entre atiradores. Apesar da minha avassaladora presença ter amedrontado e abalado a estrutura de um dos lados, tivemos de confrontar aquele tiroteio e acabamos forçadamente tomando um lado. Heylel Fahrenheit, um assassino atualmente procurado intergalaticamente e soldado da Reconquista, acabou nos auxiliando no meio do embate." — Proferia aquelas palavras enquanto o vídeo rodava, demonstrando o que acontecia de verdade ao invés das palavras exageradas do robôzinho, já que na verdade ele nem ao menos estava interagindo ativamente por conta da interferência no sinal.

Naquele ponto, ele já tinha parado de ler a entrada de seu site e passava a relatar o que havia acontecido de fato. — Ao atingir tanto Heylel quanto Wilhelm com uma cápsula que parecia ter aquele veneno azul, o atirador se retirou numa nave camuflada e foi até outro lugar. O assassino Reconquistador, Heylel, prestou-se a tentar nos ajudar oferecendo uma carona com sua nave. Mas não pudemos entrar em nenhum hospital pois aparentemente todos eles estavam fechados. Os integrantes da tripulação do assassino pareciam estar tendo problemas em controlar a nave por conta de algumas PEMs. A Reconquista prestou-se a nos levar até uma nave-mãe em órbita, onde prestariam o auxílio médico nos dois necessitados. — Ele parecia ter vontade de rir ao lembrar-se de algumas coisas.

Vocês tinham que ver, os braços do Wil estavam parecendo berinjelas terráqueas! — Demorou para retornar à seriedade anterior. — Bem, o comandante da nave se viu obrigado a fazer Wilhelm ajudar em alguma coisa, pois tinha comprometido o sigilo de todos ali revelando a presença do aeroveículo para um desconhecido. O acelerador da nave estava estragado, e Wil disse que iria consertar. Depois de ser tratado, a nave foi atacada por caças da Aliança. E aí, para ninguém morrer, o garoto foi diretamente até o Acelerador, teve que lutar com uma mulher louca que amassava as paredes da nave na porrada, e aí ainda mal teve tempo de consertar aquele negócio porque ia implodir tudo e a gente ia morrer os Aliados iam morrer os Reconquistadores iam morrer e ia ser pedaço de nave pra tudo quanto é lado e ia virar meteorito e destruir Gradópolis e matar tudo. — Exagerou bastante.

Novamente, aquelas eram talvez informações demais para engolir de uma vez só, mas o robô pareceu se esforçar para deixar o mais curto o possível.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Heylel

avatar

Mensagens : 128
Data de inscrição : 18/11/2018

Database
HP:
33/33  (33/33)
EP:
11/11  (11/11)
EXP:
550/600  (550/600)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Dom Dez 30, 2018 4:06 pm

Spoiler:
 

*A pergunta feita por Miyano fazia Heylel refletir por alguns segundos sobre o que deveria responder já que sua resposta poderia mexer com a mente e consequentemente com as convicções daquele garoto, então cogitou mentir, dizer que não havia descoberto nada sobre aquela insignia só que no final de tudo aceitou que o melhor mesmo era dizer a verdade por mais que as consequências dela pudessem afastar aquele menino da causa rebelde*

-Haviam amostras genéticas naquele emblema que foram levadas para analise que constatou que o dono ou dona daquela insignia não pertence a Reconquista. *A memoria veio o momento em que Mora o explicou sobre aquilo, que seja lá quem fosse, a quem pertencesse aquele pequeno simbolo estava fora de todos os dados da Reconquista, o que poderia significar duas coisas, ou a pessoa era um mercenário, ou...*

-Então ele ou ela pode fazer parte da Aliança, e levando em conta que a nave foi invadida apenas por membros da Aliança, isso se reforça ainda mais. *Moveu o braço com cuidado para que Rex voltasse voando para onde Miyano estava, a ave seria mais útil com a criança do que com o rapaz ali que estava pensativo sobre o que fazer até novamente receber uma mensagem de Cody que nada mais era do que expondo Wilhelm, o que ele estava dizendo ao pessoal da Aliança mais precisamente, tudo devidamente registrado pelo visor que o garoto segue usando*

-Ele não revelou nenhuma posição nossa, bem, siga acompanhando para vermos qual é a desse garoto, em todo o caso, acho que tive uma outra ideia. *Ao ouvir Llyani impaciente, Heylel novamente ficava surpreso, ela ainda estava até que calma levando em conta toda a demora que estava tendo ali, e bem, tinha que agir e faria isso enquanto esperava a resposta de Miyano deixando a tela do garoto minimizada e o som apenas em seus fones de ouvido sem fio. O albino seguiu até a beirada do prédio e deu o comando para Llyani, claro que ele não falava em numeros e letras, mas o bastante para ela entender que devia seguir para D2*

-... *Durante o processo de ida de Llyani, Heylel era mais rápido saltando de cima do prédio onde durante o trajeto sua armadura de nanotecnologia começava a revesti-lo totalmente finalizando com a mascara que deixava bem nítido o brilho de seus olhos vermelhos. Graças a suas garras, ele pode virar no ar -entende-se ficar de pé já que estava de ponta-cabeça-, arrasta-las na parede diminuindo a velocidade de sua queda e então fazendo um ligeiro movimento de parkour caindo frente o soldado que estava de costas para a mulher, tudo isso devidamente planejado e visto pelo homem antes do salto*

-Boa noite. *Virou o rosto para o vigia mostrando sua face metálica e esquelética bem característica de seu traje que denunciava sua identidade, Heylel Fahrenheit, o assassino da Reconquista. Antes que o outro pudesse reagir, ele imediatamente acertou a garganta dele com um golpe preciso de dedos erguidos e unidos para arranca-lo a fala e se bobear toma-lo a vida ali mesmo embora esse não fosse o foco e sim tomar toda a atenção do homem para que sua parceira o pegasse por trás sendo plenamente furtiva, afinal, seu alvo estava bem distraído com algo bem notável a sua frente*


Última edição por Heylel em Dom Dez 30, 2018 5:43 pm, editado 1 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Miyano

avatar

Mensagens : 55
Data de inscrição : 17/11/2018

Database
HP:
20/20  (20/20)
EP:
8/8  (8/8)
EXP:
200/300  (200/300)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Dom Dez 30, 2018 4:58 pm

A expressão de Miya se mostrou bastante confusa e perturbada quando Heylel disse que havia a probabilidade do emblema pertencer a um membro da Aliança. Como era possível?

Se seus pais orgulhosamente já trajaram aquele símbolo, então era improvável que fosse. Ou talvez estivesse faltando uma peça no quebra-cabeça; talvez muitas.

Seus pais sempre foram parte da Reconquista? Miya não saberia dizer. E se já foram parte da Aliança, mas alguma discrepância de opiniões os fizeram deixar esse caminho?

Uma forte onda de nervosismo invadia seu corpo, arrepiando cada partícula de sua essência. Aquela alucinação de mais cedo parecia convencer o garoto de que aquele símbolo era uma chave importante, mas, e se ele estivesse alterando coisas em sua memória? Poderia ter visto aquele símbolo em algum lugar, talvez nem sequer fosse parte do uniforme dos pais.

Mas ainda sim, havia visto aquele símbolo. Onde?

Tremulamente abraçou os joelhos, sentindo-se ansioso enquanto uma enchente de pensamentos acelerados tomavam conta da cabeça da criança, atropelando uns aos outros. Inconscientemente cerrava os dentes com força, claramente nervoso com a situação.

Enquanto deixava Heylel prosseguir sem prestar atenção em suas palavras - afinal, o homem nem falava com Miya. Mesmo se falasse, a criança já havia se perdido em devaneios -, foi trazido de volta à realidade pela chegada do grifo que graciosamente pousou nos ombros do albino, acariciando o rosto da criança de maneira gentil.

Com os olhos arregalados, Miya lentamente se desligou daquele turbilhão de pensamentos, acariciando o topo da cabeça do mascote.

Respirou fundo, tentando recuperar o foco para não perder-se em pensamento novamente.

- Heylel. - Falou com a voz firme, dessa vez não carregava tanta hesitação, apesar de ainda soar nervoso e apreensivo. - O dono não importa para mim, eu só preciso descobrir o que é aquele símbolo. É muito importante para mim, por favor...
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Amëlie;

avatar

Mensagens : 9
Data de inscrição : 05/12/2018

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Qua Jan 02, 2019 5:20 pm

Os controles do MECHA eram como uma extensão do corpo de Amëlie. Todos os botões, as alavancas, até mesmo o tipo de volante que conectava os braços da mulher aos braços da estrutura gigantesca, tudo era como se fossem os próprios membros da mulher que pilotava o dispositivo com cuidado e destreza. 

Por isso, talvez, não tenha demorado muito para que as coordenadas passassem de apenas números para o cenário em frente aos olhos esverdeados. A boca firmou-se numa linha fina, a respiração prendida. Em questão de segundos, o MECHA pousava em cima do prédio onde as meninas estavam, e tão rápido quanto, a mulher desceu do robô gigantesco. 

"Estou aqui em cima, Cold. Venha me encontrar.", mandou para filha, apesar de já estar caminhando em direção a porta que levava as escadas para fora do telhado.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
SIDA
Admin
avatar

Mensagens : 474
Data de inscrição : 29/07/2015

Database
HP:
1/1  (1/1)
EP:
1/1  (1/1)
EXP:
1/1  (1/1)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Qua Jan 02, 2019 8:52 pm

Llyani não é bem do tipo furtivo e, se não fosse pela distração criada por Heylel, ela talvez tivesse sido detectada e a segurança local poderia entrar em alarme. Com o auxílio do assassino habilidoso, porém, ela é capaz de se aproximar em uma corrida furiosa por trás do oficial e atingir suas costas com um poderoso soco, que carregou tanta força que Heylel pode ver as costelas do alvo sendo empurradas para frente.

Ele está definitivamente morto ou apagado e apenas deixa cair seu instrumento de scan que operava antes. Neste, Heylel pode observar a tecnologia envolvida na operação: um visor, conectado à SIDA, vasculha tudo que passa no perímetro e o operador, ao encontrar uma pessoa não registrada ou de ficha comprometida, manualmente aciona um alarme. Por conta disso, tanto Heylel quanto Llyani já foram detectados pelo sistema e só não estão rodeados de soldados porque o operador não teve tempo de ativar o alarme, mas é uma questão de tempo até que alguém mais os detecte e o faça.

Ao mesmo tempo, um mecha é avistado por todos presentes voando pelos céus. É claramente uma surpresa, visto que tal tecnologia é pouco conhecida e muito misteriosa no momento, ainda mais com a dificuldade de acesso. Todos os civis que andam pelas ruas fixam seus olhares vislumbrados na máquina, o que pode criar uma boa distração para que Heylel aja.

Ao mesmo tempo, uma movimentação é ouvida em um local próximo. Algum oficial aparentemente ouviu algum som de Heylel ou viu sua sombra durante os saltos e caminha até a localização para averiguar.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://greyage.forumeiros.com
SIDA
Admin
avatar

Mensagens : 474
Data de inscrição : 29/07/2015

Database
HP:
1/1  (1/1)
EP:
1/1  (1/1)
EXP:
1/1  (1/1)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Qua Jan 02, 2019 10:52 pm

Os soldados presentes, incluindo o que estava em meio ao caminho retornando com a água que SIDA ordenou que pegasse, param tudo o que estão fazendo para assistir a apresentação do pequeno robô. Em pouco tempo, simples usuários e funcionários do hangar também se reúnem para acompanhar a presepada de Wilhelm e seu robô, que mais parece um filme de ação.

A história apresentada têm aventura, personagens, cenários e até mesmo uma narrativa que bate com as entrevistas concedidas pelos soldados que estiveram na nave-mãe mencionada. Não basta muito além da simples verdade para convencer a todos da inocência do jovem.

— I-Isso é fantástico... — Murmura um dos soldados, ainda boquiaberto pela apresentação. — E ele ficou com a garota no final?

— Há um médico na cidade liderando os esforços para parar a infecção. — Corta o comandante, desinteressado nos detalhes sórdidos. — Já que está curado, quero que relate sua experiência para Renard Queenston. Eu vou te liberar e limpar sua ficha... sua história é convincente.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário http://greyage.forumeiros.com
Soren

avatar

Mensagens : 5
Data de inscrição : 28/12/2018

Database
HP:
1/1  (1/1)
EP:
1/1  (1/1)
EXP:
1/1  (1/1)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Qui Jan 03, 2019 12:57 am

Soren permaneceu intransigente e apenas assentiu com a cabeça suavemente quando a exibição do robô mostrava a eles aquilo que já havia idealizado e/ou intuído conforme o que seu filho contou a princípio. Acima de tudo, impressionava-se em ver a existência de um possível terceiro grupo no fogo cruzado entre Aliança e Reconquista. Ele investigaria isso mais a fundo.

- Muito bem. - Ele disse, em tom de voz firme. Olhou ao redor, surpreso com a quantidade absurda de pessoas que se reuniram para assistir ás filmagens do robô e, embora isso lhe incomodasse um pouco, acreditava que a quantidade de pessoas impressionadas com os eventos retratados reforçaria a ideia de que seu filho era inocente, mesmo que nem todos seus atos contribuíssem realmente para essa ideia.
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Heylel

avatar

Mensagens : 128
Data de inscrição : 18/11/2018

Database
HP:
33/33  (33/33)
EP:
11/11  (11/11)
EXP:
550/600  (550/600)

MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   Qui Jan 03, 2019 10:33 am

*Após o golpe no pescoço o homem engasgou perdendo sua fala por alguns segundos, o suficiente para a corrida da aliada ser um sucesso e ela o atingi-lo em cheio pelas costas o jogando para frente fazendo com que o rapaz desse um passo para trás para o corpo não caísse sobre si, sem duvida alguma aquela mulher tinha muita força no punho, ainda bem que no confronto que teve com a mesma conseguiu a vencer com apenas um único golpe de sorte*

-Sutil... Bom trabalho, com essa eu te devo uma bebida. *Então ouviu Miya o chamar através do sistema de comunicação que ele manteve em formato "fone de ouvido" para ouvir o menor por dentro de seu elmo sem deixar a voz ecoar podendo chamar a atenção de terceiros, ou seja, apenas ele ouvia a criança*

-Farei o possível, Miya. *Disse enquanto se ajoelhava para verificar o corpo caído a sua frente verificando se ele tinha pulso ainda e notando o pequeno sinal de vida, Heylel segurou o caído pela cabeça e a virou com jeito fazendo o pescoço da vitima quebrar a matando em definitivo. Ainda com a cabeça virada em mãos, o rebelde conseguiu notar que aquele soldado havia derrubado alguma coisa*

-Hm? *Soltou o que segurava, pegava o corpo depois de pegar itens uteis dele como quem sabe granadas de efeito moral o deixando sobre o ombro abrindo uma caçamba de lixo próxima onde o jogou la dentro e depois fechou fazendo um certo barulho no processo com o fechar da tampa. Voltou então ao objeto caído que se tratava de um visor; apenas com que seu pensamento ele fez com que seu elmo fosse "desfragmentando" tomando a forma de um capuz para deixar seu rosto livre para que colocasse aquele item frente os olhos*

-Interessante...
*Conseguindo entender a tecnologia que tinha bem frente a seus olhos, o Kroyvisiano viu que talvez aquela fosse a chance perfeita não apenas de ajudar Miyano, mas também fazer um pequeno favor a si mesmo em relação aquele aparato e seus registros criminosos tal como os de Llyani, inclusive, verificou o que aquele soldado havia visto sobre eles dois para saber direitinho o que tinha sobre eles ali. Depois disso ouviu um som que nunca reconheceria na vida, afinal, nunca havia visto um mecha então com certeza não saberia distinguir seu som, todavia, havia outro ruido em particular que o albino conhecia muito bem, o ruido de passos vindo em sua direção*

-Tsc! *Bruscamente foi até Llyani, a pegou pela cintura a puxando para perto de si e apontou sua mão esquerda para cima executando um Hookshot, esta que segurou no topo do prédio com devida firmeza a ponto de cravar os dedos no concreto e a seguir a corda metálica puxava a dupla para cima em alta velocidade onde chegando no destino ele soltou o parapeito os deixando seguir o trajeto a poucos centímetros do terraço caindo de pé e suavemente logo depois*

-Tudo bem? *Se afastou da mulher já desconfiando que ela não havia curtido nenhum pouco nada, nem aquele agarrar, nem aquela viagem rápida, nada, então perguntou já armando uma defesa com os braços, porém, esta guarda abaixou quando ele percebeu algo extremamente chamativo*

-Essa coisa... *Lembrou-se brevemente de alguns esboços feitos a muitos anos atrás, esboços sem futuro ou credibilidade alguma que agora pareciam ter saído do papel e tomado forma, uma forma tão incrível que ele teve que observar mais de perto caminhando até a outra beira do prédio ao qual estava sobre*

-Então isso é um mech?*Observando de uma distancia razoável, Heylel usava daquele novo visor para verificar que tipo de registro o piloto daquele robô tinha para identifica-lo, só que antes mesmo do sistema dize-lo quem era o próprio já acabava reconhecendo aquela para quem estava olhando*

-Mel? Então aquela coisa é o Satan.eva? *O chamado de Cody veio aos ouvidos do rebelde o informando sobre o estado atual de Renard Queenston o repassando a aparência e trejeitos daquele doutor maluco que parecia reagir muito melhor sob ameaça por mais que não demonstrasse medo, seria aquilo algum tipo de sinal de traço passivo e masoquista? Não tinha como saber ainda, só que era fato de que graças a Wilhelm eles conseguiam saber também o que estava se passando naquela área de pouso; aparentemente, em breve a cavalaria estaria no hospital comprometendo então toda a missão*

-Cody, agilize o processo, você não pode salvar todas essas pessoas, Miya, parece que deus está nos dando uma chance para sabermos sobre o dono daquela insignia, tente hackear o visor que estou usando nesse momento, ele tem acesso ao registro de todos aqueles que foram arquivados pela SIDA, se conseguirmos essa informação podemos repassar a Mora e com isso ela pode descobrir a quem pertence o emblema, consequentemente de onde ele veio, essa é a sua chance. *Durante a fala o atirador se posicionava segurando sua arma com as duas mãos mirando em Amelie, estava distante e sem uma arma de precisão para facilitar seu serviço, então para compensar tudo isso ele se concentrava bastante em seu alvo para poder executar um tiro preciso apesar das adversidades como distancia e baixa luminosidade*

"-Do jeito que ela é provavelmente apenas ela consegue manipular aquele mech, então se eu derruba-la agora, será um a menos em favor da Aliança e quem sabe um a favor da Reconquista, vai ser difícil carregar aquilo, mas nas mãos certas quem sabe poderá ser usado em nosso favor." *Os olhos biônicos ajudavam na mira aumentando o foco e centralizando a visão do portador que respirava fundo por sentir momentos de hesitação já que seu alvo atual não era qualquer um, porém, seu dever com sua facção era maior do que qualquer laço que tivesse, principalmente agora onde nas duas vezes que hesitou em atirar acabou perdendo algo importante... Não, não seria dessa vez que falharia com seus irmãos de guerra*

"-Se eu concentrasse meu poder mistico o bastante, talvez eu pudesse destruir o mech, mas de nada adianta se ela construir outro depois disso, então tem que ser ela, se ela se for, ninguém mais poderá fortalecer a Aliança."*Concentrou seu folego, estreitou seus olhos e relaxou seus músculos antes de tenciona-los nos braços e mãos para ter uma mira ainda mais precisa diminuindo o máximo que podia o ricochete que estaria por vir com o disparo e tamanho era seu foco que não havia como atirar de imediato, precisava de um pouco mais de tempo para ter um alinhamento quase ou até mesmo devidamente perfeito*
Voltar ao Topo Ir em baixo
Ver perfil do usuário
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Encontro familiar   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Encontro familiar
Voltar ao Topo 
Página 2 de 4Ir à página : Anterior  1, 2, 3, 4  Seguinte
 Tópicos similares
-
» 17º Filler de Yor - Familiar

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
A Era Cinzenta :: Zona RPG :: Campanhas livres-
Ir para: